Google+

quarta-feira, março 05, 2014

Dom Marcos Antônio Tavoni Concede Entrevista a Revista Renascidos em Pentecostes

ESPECIAL RP - ENTREVISTA
DOM MARCOS ANTÔNIO TAVONI

    mail.google.com   Papa Francisco nomeou Padre Marcos Antônio Tavoni como bispo da Diocese de Bom Jesus do Gurguéia, cidade do sul do Piauí. A ordenação ocorreu no dia primeiro de março, na Catedral de Brasília. Dom Marcos nasceu em 21 de abril de 1967, em São Carlos, cidade do interior de São Paulo. Seu ministério se deu como missionário na arquidiocese de Palmas, Tocantins. Também foi professor, reitor do Centro de Estudos Superiores Mater Dei e do Seminário Interdiocesano, inclusive é um dos precursores do Caminho Neocatecumenal no estado do Tocantins. Dirigiu a Casa de Marta, local que possui atividades de reintegração para jovens adolescentes grávidas.

Esta entrevista foi realizada no dia 26 de janeiro de 2014, antes da ordenação de Dom Tavoni.

REVISTA RP: Desde sua ordenação, como se deu seu ministério sacerdotal apascentando as ovelhas do Senhor?

DOM TAVONI: Bom, nasci no interior de São Paulo, na cidade de São Carlos. Tenho 46 anos e ordenado presbítero em 1996. Minha história começou lá em São Carlos. Estudei Filosofia e depois vim para Brasília, em busca da vocação missionária. Quando foi aberto o primeiro Seminário Redemptoris Mater do Brasil, em Brasília, integrei a primeira turma. Passei a estudar Teologia no Seminário Maior de Fátima e receber a formação missionária no Seminário Redemptoris Mater (Brasília). Após ordenado, fui enviado em missão na recém criada Arquidiocese de Palmas, Tocantins. Lá permaneci por quase 14 anos, trabalhando na missão. Retornei a Brasília faz pouco tempo. Assumi a Paróquia Cristo Redentor faz um ano, completado agora em fevereiro.

   dmtREVISTA RP: Qual foi a sua primeira reação ao receber a notícia de que Papa Francisco o nomeara Bispo da Diocese de Bom Jesus do Gurguéia?

DOM TAVONI: Meu coração reagiu com muito espanto. Eu não esperava. Vim para esta paróquia (Cristo Redentor) e imaginei ficar aqui por alguns anos, pois tenho bastante trabalho pela frente e sou muito jovem. Sempre passa na cabeça de todos os padres a possibilidade de vir ser bispo. Mas nós nunca esperamos que isto vá acontecer conosco e quando acontece, a surpresa é muito grande. Fiquei feliz pela escolha, pela confiança do Santo Padre - pela esperança que ele está depositando em mim. Nunca fui bispo, vou ser bispo pela primeira vez em um lugar de muito desafio, de muita precariedade, uma área. Eu vou com a confiança em mim depositada, por isso não vou com minhas forças, mas apoiado no envio que o Papa está fazendo, na Igreja, na unção do Espírito Santo. Portanto, não vou com minhas forças, mas com aquilo que recebi da Igreja. Vou animado para fazer meu trabalho. Estou confiante. Minha surpresa foi grande, a alegria foi imensa. Entretanto, há também os temores que são humanos e existem, mas vou confiando no Senhor.

REVISTA RP: Em sua primeira mensagem ao povo de Bom Jesus, o senhor expressou de forma muito bonita a sua alegria ao receber esta missão de Cristo, louvando o Senhor e acolhendo o povo de Deus com muito carinho e amor. Quais são os seus planos inicias para a chegada à Bom Jesus?

DOM TAVONI: Quando escrevi esta carta para eles, me coloquei no lugar deles. Eles devem estar ansiosos, com expectativa, assim como eu estou para conhecê-los. Acho que isso é normal, é natural. Escrevi com carinho mesmo, porque, do ponto de vista deles, aqui é o fim do mundo. Para muitas pessoas, lá é longe, mas para eles, aqui é que é distante. A mensagem foi escrita com muito carinho, nesta disposição de conhecê-los, para que possamos construir juntos, trabalhar juntos e caminhar. Escolhi meu lema “apascenta as minhas ovelhas”. Foi escolhido justamente pensando nisso. Lá estão as ovelhas do Senhor, que Ele mesmo está me confiando. Eu tenho que começar a cuidar delas desde a minha primeira mensagem e com muito carinho. Estou ansioso para conhecê-los.

REVISTA RP: O que o senhor “leva na mala” para a Diocese de Bom Jesus?

DOM TAVONI: Não levo muita coisa material, porque padre é assim: sai de casa seminarista sem nada e assim permanece. Nós padres somos chamados à viver a pobreza e a simplicidade. Levarei em minha mala muita esperança. Levarei muita confiança. Existe uma frase de Padre Pio que é muito bonita e muito me ajuda. Inclusive, um amigo enviou-me esta frase via Whatsapp (aplicativo de celular), para me encorajar: “No passado, misericórdia. No presente, amor. No futuro, a providência divina”. Então, o Padre Pio rezava esta frase e assim também quero me abandonar nas mãos do Senhor. Quando os apóstolos subiram ao Templo, Pedro disse esta frase àquele que estava à escada “Eu não tenho ouro e nem prata, mas o que tenho, eu te dou. Em nome de Jesus Cristo, levanta e anda”. É o que levarei para as pessoas: Jesus Cristo. Não levo nem ouro e nem prata, mas espero levar esperança. Esperança que nos ajude a trabalhar, a transformar os corações das pessoas e a realidade na qual elas vivem. Vou nesta confiança, levando Jesus Cristo para as pessoas. É o que tenho para levar. Foi a experiência que tive de vida e é esta experiência que eu vou passar – Jesus Cristo.

AGRADECIMENTOS

DOM TAVONI: Agradeço a Deus por esta paróquia (Cristo Redentor). O povo é maravilhoso e me acolheu muitíssimo bem. Nós convivemos durante um ano. Eles me conheceram, mas acho que só minhas qualidades. Se eu ficasse aqui mais tempo, conheceriam também meus defeitos [risos]. Eu sou muito feliz e agradecido a Deus por esta Paróquia (Cristo Redentor). O povo é generosíssimo. Eles ajudaram-me demais, colaborando com toda a organização da minha ordenação, no sentido de ajuda para receber o povo. Eu só tenho a agradecer a Deus, não tenho do que reclamar. Também agradeço a todos aqueles que formam vida de igreja, como vocês, da Comunidade Renascidos em Pentecostes. Meu grande abraço ao padre Moacir Anastácio. Conto-lhes um segredo: quando vim para Brasília, nós fizemos parte da mesma turma no Seminário Nossa Senhora de Fátima, nos conhecemos há anos. Fico muito feliz com o ministério dele, por sua dedicação. Esta Comunidade (Renascidos em Pentecostes) cresceu como uma pequena porção de fermento inserida na massa. Hoje se tornou esta grande multidão, que se reúne em Pentecostes - é uma coisa muito bonita este carisma. Que Deus continue abençoando a vocação de vocês, também a todos aqueles que contribuem com esta obra que salva as almas, e leva mais pessoas para Deus. Só tenho com o que alegrar-me por tudo aquilo que encontrei aqui na Paróquia, na Arquidiocese (de Brasília) com Dom Sérgio, que é nosso Arcebispo e também um pai que me acolheu muito bem. Eu já o conhecia desde São Carlos. Ele foi meu reitor no Seminário de Filosofia. Por incrível que pareça, nossos destinos cruzaram-se novamente. Hoje, além de ter sido meu professor, é o bispo que me ordenará bispo. São as coincidências de Deus. Não entendemos seus planos, apenas sabemos que está aí. Só tenho a agradecer. Vou feliz e para o povo do Piauí: aguardem-me! Estou chegando para trabalhar. Iremos trabalhar juntos.

Fonte: Revista Renascidos em Pentecostes, edição de Março, tema central a Quaresma, e especial com as entrevista de Dom Marcos Tavoni. 

ANO V EDIÇÃO 46, MARCO DE 2014.

Gaudium Press - Notícias Católicas

Noticias de ACI Digital - Brasil

Noticias de ACI Digital - Mundo

ZENIT - O mundo visto de Roma

  ©Servos de Maria - ADISEMA - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo